MOVIMENTOS IGUAIS RESULTADOS DIFERENTES


         Os movimentos parecem semelhantes, mas se analisarmos biomecanicamente encontraremos diferenças que podem ser significativas para cada objetivo.

Os exercícios feitos no Reformer tendem a dividir a carga para os dois membros, já que as cordas são fixadas junto ao carrinho, fora o fato de passarem por uma roldana (diminuindo ainda mais a carga imposta). Já no exercício feito com as molas teremos movimentos independentes, pois as fixações e são separadas. No cadillac teremos o aluno fazendo o movimento com a carga efetiva imposta pela mola ( Força elástica).

Os vetores de força no cadillac são mais apropriados, pois seguem exatamente os movimentos dos membros inferiores. No reformer a roldana já começa em um patamar inferior à altura da alça dos pés.

APLICAÇÃO CLÍNICA

– Se um paciente procurar um estúdio de Pilates, para reabilitação pós – imobilização de membro Inferior, o mesmo apresentará um déficit de força no lado em questão. Nesse caso seria interessante a aplicação do exercício com as molas e não no reformer, para evitar que a perna mais forte faça o movimento pela perna mais fraca.

– Se o objetivo for ensinar o exercício ao aluno, os dois membros quando movimentados ao mesmo tempo, poderão orientar melhor a sincronia e a execução.

– s molas também possuem um caráter proprioceptivo maior, por serem mais instáveis durante o exercício.

– Nos dois exercícios podemos considerar que são Cadeias Cinéticas Abertas

É interessante avaliar cada aluno e elaborar um programa de aula bem específico para alcançarmos resultados mais satisfatórios.

»
«

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *