Pilates na Gestação


O Pilates tem se tornado parte integral do estilo de vida de muitas mulheres conscientes da importância do mesmo tanto para a saúde, quanto para benefícios estéticos. Contudo, muitas mulheres param de se exercitar durante a gravidez, por causa das preocupações com relação ao bem estar do feto. Embora a gravidez seja associada a várias alterações fisiológicas e psicológicas e a resposta ao esforço físico seja diferente durante esse período, o Pilates pode ser muito benéfico para mulheres grávidas que não possuam complicações médicas ou obstétricas a partir do Terceiro mês da Gestação.

DOR LOMBAR NA GESTAÇÃO

Frequentemente as gestantes apresentam este sintoma antes de engravidar e, provavelmente, terão os mesmos sintomas no pós-parto. É consequência da diminuição da amplitude de movimento da coluna lombar e do centro de gravidade anteriorizado, o que aumenta a sobrecarga, acompanhada de músculos eretores espinhais doloridos à palpação. A dor tipo pontada, de intensidade moderada, que se apresenta principalmente entre os períodos da tarde e da noite, pode ser agravada por movimentos de extensão do tronco, pelo esforço físico, pela execução de trabalhos domésticos, caminhadas, etc. A frequência da dor aumenta com a idade gestacional e as regiões mais acometidas são: sacroilíaca, a coluna lombar e a região cervicotorácica.

ABDOMINAIS PARA GESTANTES

 

A flexão da coluna durante o exercício abdominal diminui o tamanho da cavidade abdominal e pode aumentar excessivamente a PIA, favorecendo o risco de ruptura da bolsa, e é por esse motivo que a amplitude de movimento deve diminuir cerca de 60-80% da amplitude normal. Em alguns casos, o movimento de retirar os ombros do solo, já é o estímulo suficiente para o fortalecimento da musculatura abdominal. Esta situação ocorrerá em mulheres que não praticavam nenhum tipo de atividade física antes de engravidarem e, por isso, além de possuírem baixo condicionamento da musculatura abdominal, são as que possuem um maior risco de ruptura da bolsa. De maneira inversa, as mulheres que praticavam atividade física, antes de ficarem grávidas, possuem um maior nível de condicionamento da musculatura abdominal, conseguindo realizar amplitudes maiores com risco de lesão muito menores para o feto.

Benefícios dos exercícios abdominais para as gestantes
. Manutenção da postura da região lombar;
. Menor deslocamento do centro de gravidade da mãe para frente;
. Maior capacidade de força de contração da musculatura abdominal, que facilita a expulsão do feto no momento do parto;
. Melhor recuperação da diástase abdominal;
. Melhor reorganização visceral;
. Maior facilidade de excreção (fezes e urina) dos dias imediatamente posteriores ao parto;
. Menos risco de dores pélvicas no final da gravidez e depois do parto.


»
«

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *