Laboratório de Imprensa


Pilates para todos

A maioria das pessoas que procura um programa de condicionamento físico, geralmente, apenas tem noção de suas necessidades e dos objetivos pretendidos, ignorando os problemas que podem ocorrer em caso de uma escolha equivocada. E o excesso de criatividade de alguns profissio- nais, algumas vezes, resulta em efeitos danosos, já que um condicionamento mal feito pode terminar numa surpresa desagradável, ou mesmo numa lesão indesejada.

Um exemplo é o pilates, método inspirado em conhecimentos de fisiologia e medicina oriental que busca o equilíbrio físico e mental, cada vez mais popular no mundo inteiro. Desenvolvido pelo alemão Joseph Pilates durante a primeira guerra, tem sido oferecido com inovações, rompendo o padrão tradicional. Como era natural, o tema gerou controvérsias. Há os que aprovam as mudanças e há os que as criticam.

A jornalista Carolina Daflon, de 29 anos, matriculou-se inicialmente em um estúdio de pilates. Hoje, porém, pratica as aulas num centro de pilates original. “O autêntico método pilates diferencia-se dos outros desde a qualidade dos aparelhos utilizados nos estúdios, passando pela execução de uma série de exercícios coreografados, partindo do básico para o intermediário e daí, conforme a evolução do aluno, até o avançado”, diz, acrescentando que, nos outros métodos, o aluno depara-se com séries bem próximas às da musculação e utiliza aparatos que muitas vezes não fazem parte do método pilates. E afirma: “Com isso, o resultado não é o mesmo que se adquire com o método autêntico.”

Já a aposentada Vera Bessoni, de 61 anos, conta que fraturou uma costela ao frequentar um estúdio de pilates que não tinha estrutura adequada para a correta aplicação da técnica. Ela conta: “O resultado foi um longo período de recuperação. Mudei de estúdio.” Há dúvidas quanto à evolução que a prática seguiu após a morte de seu criador. Atualmente, são seguidas duas grandes vertentes: o pilates original (autêntico) e o pilates evoluído (modificado ou contemporâneo). A esse respeito, Sérgio Machado, fisioterapeuta e sócio-diretor da Metacorpus Pilates, cita os segmentos dos mercados e as novas tendências: “Na última década, a fisioterapia teve importante crescimento na formulação e aprendizado de novas técnicas (RPG, osteopatia e cadeias musculares). Como são os fundadores, seus seguidores agregaram esse conhecimento ao pilates original, modificando o método, tornando-o também uma ferramenta de reabilitação.”

Ainda segundo Machado, após o contato com os educadores físicos, constatou-se a necessidade de modernização de alguns conceitos e condutas que, uma vez aplicados, enriqueceram o curso. E explica: “Além de criar curso único, voltado para empreendedores que querem ter o próprio negócio, orientamos a realização dos exercícios do método pilates com as devidas modificações de velocidade, tipo de contração muscular, tempo de execução, alongamento axial e outras mudanças mais que podem ser vistas em nosso curso.”

A arquiteta Paloma Medeiro Solimões, de 34 anos, pratica pilates há dois no clube onde é sócia e afirma não ter queixas a fazer, apesar da metodologia aplicada, e, às vezes, com algumas alterações, independente do estúdio frequentado: “Sinto-me bem no ambiente das aulas. O professor é dedicado e transmite bastante segurança. Os exercícios são bem variados, usamos bolas, fitas, elásticos e cordas.” Para Paloma, acidentes podem acontecer em qualquer estúdio, independente da formação do instrutor: “O importante é a eficácia do método e o efeito que vai causar nos alunos.”

Especialistas confirmam que a técnica praticada por milhares de pessoas em todo o mundo demonstra que o pilates faz bem ao corpo e à mente, proporciona condicionamento físico, melhora a capacidade cardiovascular e respiratória, há o aumento da força e da elasticidade muscular e ainda a mobilidade articular. É bem grande o alívio de estresse, na otimização do desempenho esportivo e melhoria no sexual, assim como nas funções neuromusculares, no despertar da consciência e no controle corporal. Independentemente da linha seguida, só deve ser executado sob orientação de um profissional qualificado. O método conta com mais de 500 exercícios, indo do básico ao avançado. É difícil escolher. O importante é a qualidade e a serie dade com que se encara o aluno, fazendo-o sentir-se seguro com a escolha do pilates ideal, que gera resultados satisfatórios.

ENTRE O MÉTODO ORIGINAL E SUAS VERTENTES

A técnica original de pilates consiste na execução de exercícios no solo ou em aparelhos especiais. As atividades no chão, conhecidas como mat pilates, se caracterizam pelo caráter educativo, enfatizando o aprendizado da respiração e do centro de força no corpo. Já as realizadas nos aparelhos envolvem grande possibilidade de movimentos, todos feitos de forma rítmica, controlada, associada à respiração e à correção postural, usando a resistência das molas. As adaptações podem ser encontradas em academias e estúdios espalhados pelo Brasil. Entre elas estão o water pilates, feito dentro d’água; yogilates, no qual se combina yoga e pilates; e o tangolates, mistura do tango com o pilates. O pilates é um método de extrema complexidade, que exige do profissional, professores de educação física e fisioterapeutas, grande conhecimento de anatomia e fisiologia humana. E a técnica original é certificada pelo The Pilates Studio Brasil, que forma profissionais em cursos de 200 horas de aulas teóricas e estágio mínimo de 600 horas. Desde 1997, a professora Inélia Garcia dirige o único centro de certificação da América Latina. O pilates também é lecionado em outras escolas de formação, em cursos mais curtos. E as adaptações normalmente saem desses locais. As aulas de pilates ministradas segundo o método original são mais caras que as adaptações. Isso porque há poucos profissionais certificados. Além disso, a prática pode ser feita individualmente, o que eleva o custo. As inovações, no entanto, não representam apenas mudanças na parte técnica; também objetivam alcançar um universo maior de alunos. Só assim será possível baixar seu custo.

»
«

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>