Jornal O Fluminense


Pilates: um negócio que veio para ficar de vez

Para manter uma boa forma, nem sempre intensas aulas de musculação são a única opção, a técnica desenvolvida pelo alemão Joseph Pilates (1883-1967) não é tão explícita assim, mas o pacote de benefícios colou no imaginário popular e pode ser um bom exemplo de negócio para investir. Com um custo que varia entre R$ 30 a 40 mil iniciais o lucro pode ser satisfatório, pois para continuar o trabalho, é necessário de imediato somente a manutenção dos equipamentos e do espaço utilizado.

A terapeuta Corporal, bailarina e professora de dança Karla Relvas de 46 anos, trabalha há 12 com o Pilates. Ela é proprietária da Spazzo Pilates que fica em Icaraí na Zona Sul de Niterói, e em 10 anos de existência, já expandiu para mais duas salas.

A empresária revela que antes de montar o seu próprio negócio trabalhou em um estúdio enquanto investia na sua formação.

“Como sempre trabalhei com o corpo, comecei como praticante de Pilates e imediatamente me encantei com o Método. Em seguida, acabei virando sócia da proprietária em outra filial, e depois de nove meses resolvi abrir o meu estúdio sozinha”, afirma.

Diferente de outros tipos de negócios, que podem começar bem e depois acabar, a proprietária diz que os estúdios de Pilates vieram para se manter de vez no mercado.

“Pilates não é modismo, veio pra ficar. É um método estruturado e eficiente. Gostaria que a tendência fosse a qualidade, que é sempre positiva para todos. E somado a isso a responsabilidade, tanto dos profissionais quanto de quem procura a pratica”,destaca.

Ainda segundo Karla Relvas o sucesso é explicado por uma feliz combinação de fatores, a começar pelas qualidades da técnica.

“O pilates tem uma gama enorme de exercícios, adaptáveis a diversas condições físicas e objetivos, que organizam a postura e servem tanto para reabilitação quanto para a conquista de boa forma”,

Depois de um longo tempo no mercado, a empresária garante que ainda se sente motivada com a carreira profissional.

“Para mim é extremamente gratificante, contribuir para a construção de estruturas mais saudáveis. Acompanhar o progresso de cada um, ajudar cada individuo a resgatar através do seu corpo mais força, segurança, confiança e auto estima é, sem duvida, um dos aspectos mais estimulantes dentro do processo de educação do movimento. Com certeza é uma grande motivação inclusive na vida pessoal”, garante.

Investimento em técnicas internacionais – A fisioterapeuta Elaine Kelly Amin de 38 anos, também resolveu investir no negócio e há oito anos,montou seu estúdio de Pilates. O Life em Icaraí que possuí duas unidades e o Tiffany que fica em Itaipú na Região Oceânica.

Ela lista como diferencial da sua empresa o aperfeiçoamento dos métodos de trabalho.

“Apesar de alguns anos no mercado de trabalho nunca paramos de buscar conhecimento na área e hoje faço parte de um programa nos Estados Unidos que é ministrado por uma das discípulas diretas e certificada pelo criador do Pilates. Por conta dessa especialização, eu consigo passar técnicas para os meus alunos de uma maneira mais completa”, afirma.

A empresária diz ainda que uma das dificuldades de trabalhar com esse ramo é a contratação de profissionais capacitados.

“Sou muito criteriosa para contratar um professor. Hoje em dia, existem vários cursos qualificando profissionais de qualquer maneira. Isso pode ser prejudicial para os alunos e no negócio”, garante.

Do pilates a produção própria de equipamentos

Quando os sócios Michel Salgado e Sérgio Machado resolveram investir na Metacorpus Studio Pilates, eles tinham pouco mais de R$ 3 mil e um carro velho que venderam para investir na fabricação do primeiro aparelho, que foi a vertente que deu a origem do negócio. De lá para cá, eles vieram expandindo e hoje a empresa conta com 15 estúdios próprios em quase todo território do país. E neste momento a empresa está em processo de expansão com mais três studios no Rio de Janeiro, cinco em São Paulo e mais alguns em pontos estratégicos do norte e Nordeste.

Como os outros empreendedores um dos sócios também começou dando aulas de pilates e só então resolveu virar empresário.

“Nosso negócio surgiu da preocupação com a qualidade, ergonomia e durabilidade dos aparelhos utilizados na prática de Pilates. Aliando as técnicas do método aos conceitos científicos na minha formação, inicialmente com uma produção inicial sob encomenda e devido a demanda a abertura de uma fábrica própria de aparelhos em madeira maciça e aço inox e em seguida a abertura do estúdio.

A empresa que também fornece curso de formação e aprimoramento para profissionais e estudantes de Fisioterapia, Educação Física e áreas afins, revela que o faturamento mensal das 15 unidades próprias gira em torno de R$ 275 mil. E destaca também que retorno de um empreendimento de Pilates fica, em média, na casa de 45% do faturamento por unidade.

E para todo esse sucesso, Michel Salgado destaca a importância de investimentos em cursos de capacitação.

“Há seis anos fiz um curso de empreendedorismo no SEBRAE que me ajudou muito e que recomendo a todos como o melhor curso que existe no mercado. Além desse curso estou acabando no início de 2013 um MBA em Gestão Empresarial na UFRJ que tem sido bastante interessante para consolidações dos meus negócios”detalha.

O empresário constata ainda que a grande tendência desse setor é o crescimento.

“ O País vive um momento muito bom devido a Copa do Mundo e o Rio de Janeiro ainda mais devido os Jogos Olímpicos em 2016”comenta.

Ele ainda completa que a propaganda boca a boca ainda é muito usada

“ Toda empresa sabe que quem alimenta as vendas são os clientes antigos e hoje em dia com a internet essa propaganda boca a boca tem sido cada vez mais intensa”,conclui.

»
«

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *