EFBR


Pilates: corpo malhado sem a pressão da musculação

São Paulo – Músculos firmes, fortes, alongados, barriga mais definida e mais autocontrole. É possível ter ainda ótima postura, articulações mais saudáveis, melhor capacidade respiratória e maior tolerância ao estresse. São por esses (e outros) motivos que o pilates conquista novos adeptos a cada dia. O método é considerado atualmente uma das melhores opções para quem não pode – ou não quer – lidar com a pressão da musculação.

“O Pilates tem sido escolhido por várias pessoas por ser uma modalidade de baixo impacto. Ele evita que a coluna sobrecarregue durante os exercícios. A boa forma é adquirida ao adotar exercícios de solo ou em aparelhos trabalhando muitos músculos do corpo de forma ritmada. Também fazem aumentar a queima calórica, o que auxilia na diminuição do percentual de gordura localizada e, consequentemente, leva ao emagrecimento e ajudam a deixar a barriga mais definida”, explica o fisioterapeuta e sócio-diretor da rede Metacorpus Studio Pilates, Michel Salgado.

Segundo Michel Salgado, que também é instrutor-supervisor do método na rede, o ideal é realizar um treino aeróbio associado com o treinamento anaeróbio. No treinamento aeróbio é interessante manter uma intensidade baixa, com uma duração entre 30 minutos a 1 hora, para que ocorra a utilização não só da glicose e do glicogênio, mas também do lipídio armazenado. O treinamento anaeróbio pode ser intercalado com o anterior, porém em alta intensidade, promovendo hipertrofia muscular fazendo um aumento no metabolismo basal o que ajuda no emagrecimento.

“O pilates também tem sido uma das atividades mais recomendadas por médicos para o tratamento de diversas patologias, incluindo correção da má postura, sedentarismo, estresse e outros problemas na coluna, devido principalmente, ao baixo impacto dos exercícios nas articulações”, explica.

Sem Lesões

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), apontam que cerca de 80% da população têm dores nas costas e muitas outras são acometidas por algum problema osteomioarticular relacionados ao trabalho, ao estresse, à má postura, ao sedentarismo, obesidade e a outros fatores. Por conta disso, é crescente a busca por exercícios especializados em todo o mundo. A prática de Pilates, por exemplo, tem sido uma das mais indicadas pelos médicos no tratamento de diversas patologias – incluindo problemas de correção de postura e opção de atividade física para pessoas que sofreram algum tipo de lesão muscular ou nas articulações.

“Pilates é a modalidade física mais indicada para prevenir e tratar problemas da coluna vertebral. Os exercícios focam os músculos essenciais para a postura, os quais ajudam a manter o corpo equilibrado e são primordiais para sustentar a espinha. Garantem ótima postura, músculos firmes, autocontrole e articulações saudáveis. No tratamento da correção postural, com três semanas de prática, já é possível mensurar os benefícios, inclusive com acompanhamento fotográfico”, analisa o também fisioterapeuta, Sérgio Machado, sócio-diretor da Metacorpus Studio Pilates.

Por seus benefícios e conceito, o pilates é apontado por fisioterapeutas como a proposta de saúde mais completa para qualquer idade. O pilates também é uma opção de atividade física que pode ser praticado por pessoas que sofreram lesões musculares e nas articulações, uma vez que, vem se mostrando excelente na pós-reabilitação e recuperação dos pacientes.

“Por desenvolver a força de forma gradual, trabalhando a estabilização, faz com que o praticante ganhe mais confiança em se movimentar. O Pilates também trabalha o equilíbrio e o reflexo, com isso é possível adquirir mais consciência corporal, com isso os movimentos ficam mais elegantes. A postura mental, física e emocional das pessoas muda radicalmente, melhora a capacidade de respiração e aumenta a tolerância ao estresse”, afirma Sérgio.

»
«

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>